Desde o início de 2020, o Real desvalorizou-se a 28% em relação ao dólar, fazendo da moeda brasileira umas das que mais perdeu valor ante a norte-americana este ano. A complicada situação fiscal brasileira, somada aos impactos da Covid-19, explicam, em parte, essa queda.

De acordo com a Austin Ratings, o Real só não se desvalorizou mais que as moedas da Venezuela e da Zâmbia

Variação em 2020 (até 30/10/2020) por país:

Dólar alto pode até ser sinônimo de lucro para setores exportadores. Mas para a saúde econômica do país, em geral, não é prenúncio de dias muito auspiciosos, pois, gera inflação, corrói o poder de compra das famílias e desestimula investimentos.

Inflação

O dólar alto tem gerado aumento no preço de vários produtos. Sendo o Brasil um país exportador de commodities e importador de tecnologia, seria razoável imaginar que as altas ficassem restritas aos produtos de alto valor agregado. Mas não é bem assim.

Além dos produtos industrializados, como eletroeletrônicos e eletrodomésticos, estão mais caros também os combustíveis e diversos outros itens alimentícios, como o arroz, o óleo de soja, a farinha de trigo e seus derivados.

Quanto aos combustíveis, isso ocorre porque o preço do barril de petróleo é cotado em dólar. Assim, quanto mais alta está a moeda americana, mais caros os combustíveis no mercado interno.

Já os alimentos sobem por uma razão muito simples: com o dólar alto, os produtores preferem exportar seus produtos ao invés s de comercializá-los internamente. Assim, os comerciantes brasileiros têm que pagar mais, se quiserem vender os produtos no mercado interno.

Poder de compra

O dólar alto tem, portanto, um forte impacto no poder de compra das famílias brasileiras, que precisam gastar mais para colocar comida na mesa e para adquirir eletrodomésticos, eletroeletrônicos e outros produtos.

E essa inflação gerada pela alta do dólar, entre outros fatores, vem diminuindo o poder aquisitivo do brasileiro há bastante tempo.

Para demonstrar essa diminuição, basta analisar o que se podia comprar com um salário mínimo no passado e o que se consegue adquirir com um mínimo agora.

De acordo com o matemático, José Dutra Vieira Sobrinho, em agosto de 2020, o brasileiro comprava 2,21 cestas básicas com um salário mínimo; em 2019, comprava 2,5.

Salário mínimo em cestas básicas por ano:


Investimentos

Embora o dólar alto pudesse atrair investidores estrangeiros, não é o que acontece no atual momento. A crise provocada pelo coronavírus e a instabilidade da economia brasileira tem freado o interesse por ativos nacionais. Internamente, o dólar alto afeta diretamente o poder de compra das famílias, que acabam consumindo menos. Menor consumo é sinônimo de economia desaquecida e, consequentemente, de menor investimento por parte do empresariado.

O momento ruim da economia brasileira pode ser medida pela  de queda de 4,1% no PIB nacional, segundo o IPEA (Instituto Brasileiro de Pesquisas Aplicadas).

Quer encontrar estes e outros dados econômicos pra fazer análises mais profundas e tomar melhores decisões? Cadastre-se gratuitamente no dendrites.io. A maneira mais rápida e fácil de consultar dados.